Sinfônica homenageia o compositor Nino Rota na Mostra de Cinema Italiano

Quem não se lembra das extravagâncias e do glamour do filme “La Dolce Vita”, do emblemático Federico Fellini; da clássica história de amor de “Romeu e Julieta”, de Franco Zeffirelli ou ainda de um certo poderoso chefão imortalizado por Francis Ford Coppola? Impossível imaginar as cenas sem um dos principais protagonistas, a música. O autor dessas obras-primas, o compositor Nino Rota, é o homenageado nos próximos concertos da Sinfônica de Campinas, nos dias 21, sábado, às 20h; e 22, domingo, às 11h, no Teatro Castro Mendes. As apresentações fazem parte da 2ª Mostra de Cinema Italiano.

 

 

Sob a batuta do maestro Victor Hugo Toro, os músicos interpretarão , ainda, as famosas composições das produções “Il Gattopardo”, “Amarcord”, “Rocco e seus Irmãos”, “Oito e Meio, “Os Palhaços” e a peça “Ippolito Joca e 7 Pezzi per Bambini”.

 

 

Peça por peça

O musicólogo Leonardo Augusto Cardoso de Oliveira analisa, abaixo, as composições:

 

 

La Dolce Vita

Sob a direção de Fellini, La Dolce Vita narra a história de um paparazzi mulherengo morando em Roma. Além das extravagâncias e excessos, o filme, de cenas aparentemente desconexas, deixa claro a fantasia do mito do glamour do cinema. Destacamos a cena que utiliza a música de abertura do concerto, tocante e inesquecível em sua singela

beleza.

 

 

Ippolito Joca e 7 Pezzi per Bambini

As obras foram uma homenagem feita por Rota a um antigo professor, Ildebrando Pizzetti, em seu aniversário de 50 anos. Quando adolescente, entre 11 e 13 anos, Rota teve contato com o filho de seu mentor, que era chamado de Ippolito. Cada movimento possui seu caráter distinto, de interesse e fascínio.

 

 

Romeu e Julieta

Certamente o enredo de Romeu e Julieta é um dos mais divulgados da obra de Shakespeare. A história de amor proibido entre os filhos de famílias rivais acende a faísca de um amor que se fortalece. O tema de Rota para o filme de Franco Zeffirelli tem o caráter desse amor romântico e idealizado.

 

 

Il Gattopardo

O ambicioso filme de Luchino Visconti que foi baseado no romance de Giuseppe Tomasi di Lampedusa descreve o contexto anterior à unificação italiana naquele território. O centro do discurso da trama traz à luz as lutas da classe nobre e burguesa na perspectiva de um príncipe decadente que procura manter seu status quo .

 

 

Amarcord

A trilha sonora em Amardor é indispensável para o filme. Assisti-lo e apenas imaginar a

ausência das músicas é subtrair um dos protagonistas. Suas cenas surrealistas e desconexas nos tocam pela sua proximidade com questões humanas, como nossas relações com a família, a morte, nossas contradições, desejos e descobertas.

 

 

Rocco e seus Irmãos

Após a estreia de Rocco e seus Irmãos, Visconti inevitavelmente foi desligado de suas conexões com o Teatro alla Scala de Milão. Por retratar o crime organizado italiano, influências políticas o desligaram do famoso espaço de arte. Talvez o contraponto da cidade de Milão impregnada pelo crime esteja centrado no papel da mãe italiana que procura manter a família unida.

 

 

Oito e Meio

Nesse filme de Fellini, há uma influência na própria vida do diretor e seus conflitos com a produção. A influência junguiana, tão bem vista pelo cineasta, fica clara em sua relação com a subjetividade, a estrutura temporal e a criação. O jogo entre o enredo de um diretor com bloqueio criativo e a organização de cenas de última hora coloca o espectador em contato direto com as dúvidas da personalidade do artista.

 

 

 

O Poderoso Chefão

Certamente o sucesso apreciado ao filme se deu muito às suas composições. A trilogia de

de Francis Ford Coppola certamente é a preferida entre muitos amantes do cinema, assim

como a música de seu filme. Além disso, a fotografia, produção, roteiro são referência para

o cinema mundial. O imaginário coletivo a respeito da máfia italiana certamente se apoia em

imagens criadas a partir da criação do diretor.

 

 

Os Palhaços

Encomendado pela RAI, grupo televisivo italiano, Os Palhaços foi um pedido de

documentário para se falar da profissão que dá nome ao filme. Entretanto, mais que isso,

Fellini criou um roteiro com depoimentos de importantes artistas sobre a profissão além de

cenas dirigidas. A preocupação com a continuação da existência da arte clown está

presente no mote cinematográfico.

 

 

 

Programa

Composições de Nino Rota

La Dolce Vita 

Ippolito Joca 

Pezzi per Bambini

Romeu e Julieta

Il Gattopardo 

Amarcord 

Rocco e seus Irmãos 

Oito e Meio 

O Poderoso Chefão 

Os Palhaços

 

 

 

 

Serviço

Orquestra Sinfônica de Campinas

Regente: Victor Hugo Toro

Quando: 21 de abril, sábado, 20h; 22 de abril, domingo, 11h.

Onde: Teatro  Castro Mendes (Praça Correia de Lemos, s/nº – Vila Industrial – Campinas). Telefone: (19) 3272-9359.

Ingressos: sábado – R$30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudantes, aposentados), R$ 10,00 (professores das escolas públicas e privadas de Campinas e das cidades da Região Metropolitana, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências), R$ 5,00 (estudantes das redes municipal e estadual).

domingo – valor promocional: R$ 6,00 (inteira), R$ 3,00 (meia entrada); R$ 2,00 (professores das escolas públicas e privadas de Campinas e das cidades da Região Metropolitana, pessoas com mobilidade reduzida e portadores de deficiências); R$ 1,00 (estudantes das redes municipal e estadual).

Horário de funcionamento da bilheteria do Teatro Castro Mendes: terça a domingo, 16h às 21h. Nos dias dos espetáculos, a bilheteria abre uma hora antes do início da apresentação.