Sinfônica homenageia Carlos Gomes em concertos gratuitos no fim de semana

 

A Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas apresenta no próximo final de semana, dias 22 e 23 de setembro, no Teatro Castro Mendes, o Grande Concerto Especial “Carlos Gomes”. O espetáculo terá a participação dos ganhadores do “XI Prêmio Concurso Estímulo para Cantores Líricos”, sob a regência do Maestro Marcelo de Jesus. No sábado, a apresentação acontece às 20h e, no domingo, às 11h. O evento integra a programação de atrações gratuitas do Mês Carlos Gomes.

 

 

Na abertura, peças da juventude de Carlos Gomes de antes de sua ida para a Itália, com a música “Noite do Castelo”. Será executada também a “Marcha Fúnebre e Trio”, escrita por J.P. Gomes Cardin, que foi tocada no velório do maestro e compositor campineiro.

 

 

No sábado, serão entregues os certificados aos vencedores do “XI Concurso Estímulo para Cantores Líricos”.

 

 

 

Regente Marcelo de Jesus

 

 

 

Graduado em piano, composição e regência pela UNESP, Marcelo de Jesus é um dos mais atuantes regentes brasileiros. Estudou regência com Juan Serrano, Lutero Rodrigues, Ronaldo Bologna e Karl Martin; composição com H.J. Kollreuter e Edmundo Villani-Côrtes; piano com Pietro Maranca, Homero Magalhães e na Itália com Carmella Pistillo (Academia Santa Cecília – Roma).

 

 

Após anos de atuação no Theatro Municipal de São Paulo e Theatro Municipal do Rio de Janeiro como pianista e maestro assistente de alguns dos mais renomados maestros do Brasil, assumiu, a convite do maestro Luiz Fernando Malheiro, o posto de regente titular da Orquestra de Câmara do Amazonas, maestro adjunto da Amazonas Filarmônica e diretor artístico adjunto do Festival Amazonas de Ópera.

 

 

São notórias suas realizações da integral das Sinfonias de L.V. Beethoven, bem como as integrais dos Choros e Bachianas de H. Villa-Lobos e a primeira execução brasileira da Sinfonia de L. Berio. Merecem destaque suas atuações na Ópera da Colômbia, e à frente da Amazonas Filarmônica, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Sergipe, Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, Sinfônica de Rosário, Milano Classica, Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, Orquestra Filarmônica de Goiás e Orquestra Sinfônica Brasileira como maestro convidado.

Atual Diretor dos Corpos Artísticos do Amazonas, Marcelo tem dividido sua atuação dentro e fora dos palcos com os diversos grupos da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas. Regente da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA), regente adjunto da Amazonas Filarmônica (AF), e Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica e diretor adjunto do Festival Amazonas de Ópera.

 

 

Eleito maestro-revelação pela Revista Bravo!, regeu Don Giovanni, La Cenerentola, Norma, Stabat Mater, Pierrot Lunaire, Gianni Schicchi, Turandot, Otello, Zap (Marcelo Tas), Pedro Malazarte, “Maroquinhas Fru-Fru” (Ernst Mahle), O Barbeiro de Sevilha, A Noite Transfigurada, O Diálogo das Carmelitas, Otello (Rossini), Poranduba (Villani-Cortes) e “Yerma” (Villa-Lobos). Foi premiado pela APCA 2010 – Melhor Gravação de Música Brasileira com o CD Velhas e Novas Cirandas (F. Cury, L. F.Malheiro e AF), regendo o Concerto para Fagote e Orquestra de A. Mehmari. Como convidado, regeu a Sinfonia Toronto (Canadá), Teatro Colón de Bogotá, Sinfônica de Sergipe, Orquestra do Teatro Nacional Claudio Santoro, Filarmônica do Espírito Santo, entre outras. Em 2016, no “Rock in Rio” regeu o concerto “Amazonia Live” com a participação de Placido Domingo e Ivete Sangalo. Em 2017 abriu a Temporada Lírica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro com a ópera “Jenufa”, de Leos Janacek.

 

 

 

 

Carlos Gomes

 

 

 

O reconhecimento de Carlos Gomes como um compositor significativo para a música brasileira não é recente. Sua produção é grande, assim como a pesquisa desenvolvida em torno de suas composições. Desde o sucesso de sua primeira ópera, A Noite do Castello, Dom Pedro teve a intenção de enviar o músico à Alemanha para desenvolver suas habilidades musicais. Apenas após o triunfo de Joana de Flandres, o compositor sentiu-se seguro para continuar seus estudos fora do país. Chegou então à Itália, em Milão, e iniciou seus estudos com professores particulares.

 

 

Com o sucesso da estreia de Il Guarany no Teatro alla Scala de Milão, um dos mais importantes espaços de performance operística mundial, o compositor recebeu seu diploma do conservatório da cidade.

 

 

Viveu grande parte de sua vida na cidade italiana e conseguiu divulgar parte de uma cultura brasileira em uma cidade europeia. Talvez não pudesse recriar uma arte distante da música estruturada a partir de uma linguagem como a de Verdi e disseminar um olhar inteiramente nacionalista. Entretanto, pode, a partir das ferramentas que possuía, dar visibilidade a uma cultura distante de um povo que se posicionou como centro cultural de produção musical operística.

 

 

 

Serviço

 

 

Orquestra Sinfônica de Campinas

 

Regente: Marcelo de Jesus

Quando: 22/9, sábado, às 20h; 23/9, domingo, às 11h.

Local: Teatro Castro Mendes (Praça Corrêa de Lemos,s/nº, Vila Industrial. Campinas). Telefone (19) 3272-9359.

As apresentações são gratuitas e a retirada dos convites uma hora antes do concerto.