Sinfônica apresenta “Egmont”, de Beethoven, neste final de semana

Egmont

Durante toda a vida, o compositor Ludwig van Beethoven (1770 – 1827), defendeu o conceito de liberdade. Uma de suas mais expressivas obras, “Egmont”, escrita para a peça teatral de Goethe (1749-1832), é um forte exemplo de luta contra a tirania e a exaltação heroica da resistência à opressão.

A peça está no repertório dos concertos da Orquestra Sinfônica de Campinas deste final de semana, no Teatro Castro Mendes. No sábado, dia 2, a apresentação será às 20h; no domingo, 3 de junho, às 11h.

Com regência do maestro Victor Hugo Toro, “Egmont” terá participações da soprano Ana Beatriz Machado e da jornalista e atriz Delma Medeiros, que conduzirá a narrativa dramática.

Baseada em fatos reais, “Egmont” traz, além da abertura, mais nove trechos e estreou no dia 15 de junho de 1810. “O drama ocorre no século 16 durante a rebelião dos flamengos contra o domínio espanhol.

O Conde Egmont tenta negociar com os espanhóis um tratamento menos tirânico, mas acaba condenado à morte. Esta incita ainda mais a luta, que terminou com a derrota dos espanhóis”, relata a pesquisadora Lenita Nogueira.

Durante os concertos, o público poderá, ainda, conferir mais duas composições, “A Bela Melusina”, de Feliz Mendelssohn (1809-1847), e o Concerto para Violino n° 1, de Max Bruch (1838-1920), com o solista Davi Graton.

Davi Graton

Natural de São Paulo, o violinista Graton integra a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) como concertino, o segundo violino mais importante. É professor da Academia da OSESP e integrante do Quarteto OSESP, ao lado de Emanuelle Baldini, Peter Pas e Johannes Gramsch.

Foi spalla (o primeiro violino) da Orquestra Sinfônica da USP durante 12 anos e da Orquestra Experimental de Repertório por 15 anos. Foi um dos fundadores da tradicional orquestra de câmara de São Paulo, a Camerata Fukuda, onde iniciou sua carreira como spalla.

Graton é ganhador de importantes concursos do país, como o da OSESP e o 9º Prêmio Eldorado de Música. Este último lhe rendeu a gravação de um CD pelo selo Eldorado. Participou do Curso de Virtuosidade Violinística, ministrado por Corrado Romano, consagrado professor do Conservatório de Genebra (Suiça).

Desde o início de sua carreira, vem se apresentando como solista à frente das mais importantes orquestras do país, como a OSESP, a Orquestra Experimental de Repertório e a Orquestra Sinfônica da USP, entre outras, sempre com grande sucesso de público e de crítica.

Um dos seus trabalhos de destaque foi o concerto de encerramento da Etapa Sul-Americana do Maazel/Vilar Conductors’ Competition, sob a batuta de Lorin Maazel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *