Setembro Verde alerta sobre benefícios para pessoa com deficiência

Para fechar a programação do Setembro Verde, cujas atividades visam estimular os cidadãos para a construção de uma sociedade mais inclusiva, a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos (SMASDH), participou diretamente, na última semana, de duas ações.

 

O 2º Seminário “Um novo olhar sobre a política de direitos da pessoa com deficiência” ocorreu no dia 25 de setembro, na sede da Apae Campinas e reuniu cerca de 400 pessoas. Na ocasião, foram discutidos os Direitos Previdenciários, a nova Lei do Benefício de Prestação Continuada (BPC), Tutela e Curatela de pessoas com deficiência e o Cartão Bem Acessível. Todos temas diretamente ligados às pessoas que tem algum tipo de deficiência. 

 

Respectivamente, as exposições foram feitas pela coordenadora do Núcleo de Educação Previdenciária do INSS, Mariana Ghidotti;  pelo consultor aposentado do INSS Jorge Luiz Oliveira, pelo  diretor de políticas para pessoas com deficiência  Paulo Guimarães e pela representante do Centro de Referência da Pessoa com Deficiência, Sara Castro.

 

Cartão Bem Acessível

O Cartão Bem Acessível é um documento público municipal que atesta ao seu titular a condição de ser pessoa com deficiência. Implantado em janeiro de 2016, nasceu da necessidade que muitas mães tinham para comprovar as deficiências não aparentes de seus filhos, quando na busca por direitos já previstos nas legislações existentes. “É fácil identificar uma pessoa que tenha uma deficiência física e lhe dar a preferência pelo atendimento, mas o mesmo não ocorre quando a deficiência não é aparente como é o caso dos autistas e dos surdos”, explicou Paulo, frisando que o Cartão foi pensado principalmente para essas pessoas, mas que pode ser adquirido para qualquer deficiência permanente ou temporária. 

 

O Cartão é gratuito e tem validade de dois anos para as deficiências permanentes e até seis meses para as deficiências temporárias, podendo ser renovado também sem custo. Atualmente, o município possui aproximadamente 1200 cartões emitidos.

 

Fórum

 

No 6º Fórum de Pessoas com Deficiência “Além da Lei de Cotas” e  1º Fórum de Diversidade, realizados pela ABRH – Associação Brasileira de Recursos Humanos, no dia 28 de setembro, no auditório Dom Gilberto, no Campus I da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC), foram apresentados, por meio de painéis, cases de sucesso de inclusão de pessoas com deficiência em empresas de Campinas e região. 

 

O painel “Desmistificando a inclusão sob a luz da educação e do uso de novas tecnologias” trouxe os índices de eficiência e recolocação de pessoas com deficiência, principalmente na RMC (Região Metropolitana de Campinas) e os avanços tecnológicos que favorecem a inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho. 

 

Outro item apresentado neste painel foi o programa Emprega Bem e sua metodologia de funcionamento. A iniciativa visa mediar a relação entre as empresas e as pessoas com deficiência em busca de recolocação profissional, conscientizando as empresas sobre os processos inclusivos e as pessoas sobre o mercado do trabalho. Também houve exposição de alguns números sobre o nível de escolaridade dos candidatos e sobre as ofertas de vagas e encaminhamentos realizados para as empresas.

 

“O Emprega Bem é uma plataforma tecnológica que visa estimular as pessoas com deficiência a procurar por melhores oportunidades de trabalho possibilitando uma melhora em sua autonomia”, comentou Paulo Guimarães, ao relatar que a principal atuação da Secretaria nessa relação é trabalhar com os elementos humanos, tanto para sensibilizar as empresas para conhecer melhor e respeitar as pessoas com deficiência, como junto aos candidatos para poderem aprimorar suas relações com o mundo corporativo.

 

A oferta de vagas é gratuita para as empresas e o cadastro e orientação para as pessoas com deficiência também não tem custo.

 

Oficinas 

 

Dentro da programação do Setembro Verde, desde o último dia 20 de setembro, a SMASDH, realiza uma série de oficinas que objetivam capacitar mulheres, mães e responsáveis por pessoas com deficiência  na área da inclusão e da acessibilidade.

 

Totalmente gratuitas, as oficinas abordaram temas relacionados à garantia dos direitos das pessoas com deficiência como a convenção sobre a Lei Brasileira de Inclusão (LBI); Empregabilidade e Lei de Cotas; Deficiência motora, auditiva, visual e intelectual; Violência contra a mulher e a vulnerabilidade da mulher com deficiência; Empoderamento em políticas públicas e ações da sociedade civil; A mulher com deficiência no recorte de gênero, nas políticas públicas da pessoa com deficiência, nas pautas femininas e nas políticas governamentais para as mulheres. 

 

As atividades serão finalizadas na tarde desta quarta-feira, dia 3, com uma oficina na sede do Instituto Campineiro dos Cegos Trabalhadores (ICCT).