Procon publica pesquisa de preços de produtos para o Dia das Crianças

O Procon de Campinas divulgou o resultado da pesquisa de preço de produtos para o Dia das Crianças. Foram pesquisados 59 itens em oito estabelecimentos localizados em diferentes regiões da cidade nos dias 19, 20 e 21 de setembro. A pesquisa revela diferença de até 99,85% nos preços dos produtos.

 

O levantamento dos dados foi realizado pelo Procon de Campinas em parceria com o Núcleo Regional da Fundação Procon. A pesquisa comparou 59 itens entre bicicletas, bonecas, bonecos, jogos e massinha de modelar, mas nem todas as lojas dispunham de todos os produtos, em razão da diversidade de brinquedos ofertados pelo mercado.

 

De acordo com a diretora do Procon de Campinas, Yara Pupo, as variações constatadas referem-se aos dias em que o levantamento foi realizado e os preços atuais podem ser diferentes. “Alterações podem ocorrer por ocasião de descontos especiais, ofertas e promoções. O objetivo da nossa pesquisa é oferecer uma referência ao consumidor por meio dos preços médios obtidos da amostra pesquisada”, explica a diretora.

 

A maior diferença de preço encontrada, de 99,85%, refere-se ao produto Bebezinho da Mamãe, da Cotiplás, cujos preços variaram entre R$ 129,90 e R$ 65,00, uma diferença no valor absoluto de R$ 64,90.

 

A pesquisa revela, ainda, a disponibilidade de itens, por loja, com preços menores ou iguais aos preços médios obtidos.

 

A pesquisa de preços de produtos para o Dia das Crianças pode ser acessada no site do Procon de Campinas, no endereço https://procon.campinas.sp.gov.br/pesquisa-pre-o-dia-crian .

 

Orientação

 

Para fazer boas compras, o Procon de Campinas orienta o consumidor a fazer pesquisa em diferentes estabelecimentos levando em conta o preço total, as formas de pagamento, além da comodidade e vantagem oferecidas pelos diferentes locais.

 

Outra dica é que o consumidor deve considerar a idade e interesse da criança, de modo que os brinquedos estimulem a socialização e a criatividade.

 

“Igualmente importante é a segurança do brinquedo. A embalagem deve indicar a idade ou faixa etária e o selo de certificação do Inmetro, que indica que o brinquedo foi testado quanto aos riscos que podem oferecer à criança como, por exemplo, intoxicação, choque elétrico, perfuração, alergia, e outros”, salienta Yara.