Prefeitura quer em Campinas empresa de tecnologia que investirá R$ 632 mi

 

 

 

O prefeito Jonas Donizette participou do evento que oficializou a criação de uma joint venture entre a empresa norte-americana Qualcomm Incorporated e a chinesa Advanced semiconductor Engineering, na tarde desta segunda-feira, 5 de fevereiro, em São Paulo.

 

 

As empresas irão investir US$ 200 milhões (R$ 632 milhões), em quatro anos, na implantação da primeira fábrica de chips semicondutores de alta densidade na América Latina. A previsão para início das operações é o ano de 2020, com a geração de, pelo menos, mil empregos.

 

 

O prefeito esteve acompanhado do secretário de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo de Campinas, André von Zuben, que anunciou um trabalho, já em andamento, para que a nova empresa fique em Campinas. “Nosso objetivo é que se instalem em Campinas. Já convidamos o presidente mundial da Qualcomm para conhecer as propostas e as condições para investimento na cidade”, disse André von Zuben.

 

 

“Tudo o que o Brasil precisa é de investimento. Esta é uma prova de confiança no País. Teremos empregos numa área estratégia e de inovação, que é a grande ferramenta de desenvolvimento do nosso tempo. É um passo estratégico. Estamos muito felizes em celebrar este momento”, disse o governador Geraldo Alckmin.

 

 

Campinas demonstra interesse

 

 

A área onde será instalado o empreendimento ainda está em definição, mas a Prefeitura de Campinas já oficializou o interesse de receber a nova fábrica. A previsão é de que a produção seja iniciada em 14 meses. Os chips estarão em aparelhos celulares com tecnologia 3G, 4G, 5G e wi-fi, além de dispositivos conectados, na área da chamada internet das coisas (iot, da sigla em inglês).

 

 

Atualmente, o Brasil importa 100% dos semicondutores de alta densidade, fabricados nos EUA, na Alemanha, em Israel, na França, na Coreia do Sul e na China.

 

 

“Este é um projeto muito importante, é o primeiro passo quando se olha para o futuro. Quando olhamos na sociedade, vemos que o smartphone é indispensável na vida das pessoas. O Brasil sempre teve um parque fabril de engenharia na produção de celulares. Vemos que isso está se tornando, cada vez mais, uma necessidade, principalmente com a internet das coisas. Estes são um desafio e uma oportunidade muito grandes. Esperamos que esse processo seja um sucesso absoluto”, disse o presidente mundial da Qualcomm, Cristiano Amon.

 

 

Produto

 

 

O chip de alta integração, denominado Acsip (Advanced cellular sip), é uma nova tecnologia para chips inovadores que permite a integração, em um único item, de centenas de componentes semicondutores, como processadores, memórias, capacitores, filtros de recepção e transmissão etc.

 

 

A novidade reduzirá de forma significativa a complexidade associada a projetos de smartphones e outros equipamentos de comunicação.

 

 

A iniciativa vai estimular as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação em diversos segmentos industriais, tais como bens de capital, equipamentos médicos e automação industrial.

 

 

A Qualcomm é uma empresa norte-americana de tecnologia da informação, fundada em 1985, em San Diego, na Califórnia. Produz os chips dos celulares de tecnologia CDMA e W-CDMA. A empresa também é responsável pelo cliente de e-mail Eudora e pela plataforma de criação de aplicativos para celulares brew. É proprietária da marca Snapdragon, que produz processadores para smartphones.