Prefeitura e Sindicato voltam a se reunir para discutir campanha salarial

 

Representantes da Prefeitura e do Sindicato dos funcionários estiveram reunidos nesta quarta-feira, 20 de junho, para a segunda rodada de negociações da campanha salarial de 2018. Durante o encontro, o governo reiterou a situação financeira do município, que dificulta a possibilidade de avanços na pauta apresentada pela entidade sindical.

 

 

O secretário de Relações Institucionais, Wanderley de Almeida, explicou que embora a Administração tenha tomado uma série de medidas no ano passado para equilibrar as finanças, o reajuste salarial proposto pelo Sindicato não é possível e comprometeria serviços públicos. “Apesar de todas as ações tomadas em 2017, o caixa da Prefeitura ainda está comprometido e a margem para negociação é muito pequena”, afirmou.

 

 

O Sindicato reivindica reajuste de 10,45% nos salários dos servidores ativos e aposentados e o vale-alimentação no valor de R$ 1.108,38 . A Prefeitura apresentou, na primeira reunião, como contraproposta, 2,79% de reajuste em duas parcelas, sendo a primeira em dezembro de 2018 e a segunda em dezembro de 2019; o mesmo índice seria aplicado integralmente, e retroativo a maio, no auxílio-alimentação e no vale nutricional.

 

 

Diante do impasse criado e da solicitação dos representantes do Sindicato, o governo se comprometeu a fazer estudos de propostas alternativas, que serão apresentadas aos servidores. “Todos os compromissos que assumimos até hoje com a categoria foram cumpridos e este ano não será diferente. Só vamos oferecer o que é possível pagar”, afirmou Wandão.

 

 

A próxima reunião de negociação ficou agendada para terça-feira, dia 26 de junho.