Poeta Vinícius de Moraes é revisitado na Roda de Poesia

O poeta Vinícius de Moraes (1913-1980), autor de versos que têm atravessado gerações com a mesma doçura e lirismo, é tema da próxima Roda de Poesia na Biblioteca  Joaquim de Castro Tibiriçá (Rua Quintino Bocaiúva, s/n – Praça da Ópera Salvador Rosa, Bonfim), neste sábado, 27 de janeiro, a partir das 14h30. A atividade, com entrada gratuita, é aberta a todos os interessados.

 

 

No bate-papo serão revisitadas a vida e obra de Vinícius de Moraes e seu legado à cultura brasileira. Quem nunca cantarolou “Eu sei que vou te amar por toda a minha vida” ou se surpreendeu com “Era uma casa muito engraçada não tinha teto/ não tinha nada” ou até mesmo repetiu e repetiu os versos “São demais os perigos desta vida/Pra quem tem paixão” e os famosos “Que não seja imortal, posto que é chama/ Mas que seja infinito enquanto dure”. 

 

 

Sobre ele, disse Carlos Drummond de Andrade: “Vinicius é o único poeta brasileiro que ousou viver sob o signo da paixão. Quer dizer, da poesia em estado natural.  Eu queria ter sido Vinicius de Moraes”.