Órgão francês restaurado, com 135 anos, volta a ser atração na Catedral

 

 

Com uma sonoridade peculiar que carrega 135 anos de história, o órgão Cavaillé-Coll, da Catedral Metropolitana de Campinas, foi reinaugurado no último sábado, 18 de agosto, com concerto em grande estilo. A apresentação, prestigiada pelo vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira, por artistas e um público ligado à boa música, contou com o músico espanhol Josep Solé Coll, primeiro organista da Basílica Papal de São Pedro, no Vaticano. 

 

 

“Ouvir um instrumento dessa natureza é uma experiência única”, afirmou o vice-prefeito, que também observou o apreço que o campineiro tem por este tipo de música. “Todos, em silêncio, contemplaram e se envolveram com as nuances das peças interpretadas, em completa harmonia”, destacou.

 

 

O órgão, construído pelo mestre francês Aristide Cavaillé-Coll, possui 702 tubos. A montagem na Catedral foi concluída em 1883, mesmo ano de inauguração da igreja. 

 

 

O instrumento estava desativado desde a década de 1980. O restauro começou no ano passado pelo organeiro Georg Jann, radicado em Santa Catarina, que finalizou a montagem e a afinação em junho último.

 

 

Com a recuperação, o instrumento poderá ser apreciado nas missas dos domingos, às 9h30, juntamente com o coro da Arquidiocese.