Operação emergencial do transporte coletivo não registra incidentes

Apesar da redução da frota do transporte público coletivo de Campinas em 40%, medida emergencial adotada para minimizar o impacto da falta de combustível, a operação do sistema não registrou incidentes. No final do pico da manhã desta quinta-feira, 24 de maio, e no pico do final da tarde de quarta, 23, a circulação dos ônibus foi garantida.

 

“Estamos fazendo todos os esforços para não deixar nossa população desassistida. É uma situação emergencial, que nos preocupa muito. E sentimos que a população entendeu o grave problema”, avalia o secretário de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Carlos José Barreiro.

 

No final da tarde de ontem, 23, por conta do avanço da greve dos caminhoneiros e do desabastecimento de combustível nos postos, a Emdec adotou medidas operacionais emergenciais para minimizar a falta de diesel na frota. A operação está sendo realizada com 60% dos ônibus circulando, nos horários de pico.

 

A Emdec conta com o apoio da Guarda Municipal (GM) e da Polícia Militar (PM) na operação dos terminais Central, Mercado, Barão Geraldo, Ouro Verde e Campo Grande. A presença dos agentes da Mobilidade Urbana nesses locais também foi intensificada, realizando o trabalho de orientação à população.

 

Os usuários do transporte podem acompanhar os horários dos ônibus, em tempo real, pelo aplicativo “Busão na Hora”, disponível para smartphones e, também, com acesso pelo site da Emdec, no endereço eletrônico www.emdec.com.br, em “Busão na Hora”, no canto direito, no alto da página.

 

“Estamos acompanhando intensamente a situação. E planejando, caso necessário, a adoção de novas medidas restritivas”, pontua Barreiro.

 

Atualmente, a frota operacional do transporte público é de 1.070 veículos. Somada a frota reserva totaliza 1,2 mil ônibus. São 205 linhas e quase 22 mil viagens por dia. O sistema tem uma média mensal de 14 milhões de passageiros.