Obras do BRT Ouro Verde alteram pontos de ônibus na Ruy Rodrigues

O avanço das obras do Corredor BRT (Bus Rapid Transit, Ônibus de Trânsito Rápido) Ouro Verde irá promover novas mudanças em pontos de ônibus na Avenida Ruy Rodriguez, na região que está recebendo a construção da Estação de Transferência Santa Lúcia. A partir de segunda-feira, dia 28 de maio, os pontos localizados na altura dos números 1.700 e 1.795 da avenida serão extintos. E os demais pontos, localizados no canteiro central ao longo da região de obras, serão remanejados para as vias marginais, nos dois sentidos.

 

 

 

A medida afeta as linhas 116; 118; 121; 125; 130; 131; 132; 133; 134; 136; 140; e 142. Essas linhas, desde o dia 23 de abril, já trafegam pela marginal da avenida, na região do hipermercado Extra Amoreiras.

 

 

 

Nessa nova fase de obras, os trabalhos na Avenida Ruy Rodriguez se estendem da futura Estação Santa Lúcia até a proximidade da Rua Dra. Joana Zanaga Aboim Gomes. Na Ruy Rodriguez, além da estação de transferência, ocorre a construção de uma ponte sobre o rio Capivari, no entroncamento com a Rua Antônia Ceregatti Albieri. Ao lado já existe uma ponte, que será duplicada. Essa obra não afeta diretamente o viário, pois é realizada em trecho sem pavimentação.

 

 

 

As duas obras estão dentro do trecho 2 do Lote 4 do BRT campineiro. O Lote 4 compreende os trechos 2 e 3 do Corredor Ouro Verde, fazendo a ligação da Estação Campos Elíseos até o Terminal Vida Nova. São 9,8 km de extensão. O responsável pelo Lote 4, que tem valor total de R$ 104,9 milhões, é o Consórcio BRT Campinas (Artec; Metropolitana).

 

 

 

Medidas operacionais

 

Para minimizar os impactos viários das obras na região, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) adota vária medidas operacionais. Elas ocorrem desde 23 de abril. A região recebe constante monitoramento do trânsito pelos agentes da Mobilidade Urbana. Também ocorrem reprogramações semafóricas. O estacionamento e a parada de veículos nas marginais de Avenida Ruy Rodriguez estão proibidos, como forma de proporcionar maior fluidez ao tráfego.

 

 

 

A Emdec traçou uma rota de desvio, para o motorista que não quer transitar pelo trecho com obras. No sentido bairro – Centro, pelas vias: Antônia Ceregatti Albieri, Maria Anna Cremasca Levantesi, Amoreiras, João Batista Alves da Silva Telles, Fausto Elisiário Ciribelli, Nelly Bontore e novamente a Amoreiras. Esse caminho é pelo interior dos bairros que circundam a Ruy Rodriguez, com passagem ao lado do chamado “Tancredão”. No sentido inverso, Centro – bairro, a rota também é a inversa.

 

 

 

A rota de desvio tem 5,06 km. A rota normal pela região de obras tem 3,56 km de extensão. A Avenida Ruy Rodriguez tem uma circulação média diária de 42,9 mil veículos.