MACC apresenta exposições simultâneas com curadoria de Fábio Cerqueira

No próximo dia 24 de maio, quinta-feira, a partir das 19h, o Museu de Arte Contemporânea de Campinas (MACC) receberá duas importantes exposições simultâneas: “Bicho de corpo mole, mas de pele boa”, do artista valinhense Genivaldo Amorim, e “Passiflora Sapiens: vestes da fragilidade”, do paulistano Élcio Miazaki, ambas com curadoria do também valinhense Fabio Cerqueira.

 

 

Esta será a terceira vez que ambas exposições acontecem ao mesmo tempo sob um mesmo teto, depois de terem sido colocadas juntam pela primeira vez no Museu de Arte Contemporânea de Jataí, em Goiás, em 2016.  Na oportunidade, os artistas perceberam nos trabalhos afinidades estéticas e conceituais que em vários pontos dialogavam entre si. 

Questões como a pele, a vestimenta, o corpo como suporte e estrutura para o objeto artístico, se mostraram pontos centrais nas pesquisas de ambos. Diante desse bem-sucedido encontro, resolveram experimentar novamente a parceria e, em 2017, expuseram juntos na Casa das Onze Janelas, em Belém, no Pará.

 

 

As exposições no MACC serão diferentes das outras duas já realizadas: primeira vez elas estarão em espaços contíguos, separadas, mas conectadas. Ao adentrar o museu, o visitante terá primeiramente o impacto da enorme instalação de Genivaldo, com mais de 50 peças vermelhas que lembram alguma espécie de bicho feito de tecido pintado e espuma, e que parece flutuar no espaço. Ao passar para o espaço onde estará montada a exposição de Élcio, a sensação que experimentará será outra, clara, silenciosa, delicada, frágil.

 

 

A instalação “Bicho de corpo nome, mas de pele boa”, do artista valinhense, teve sua primeira exibição na National Art Gallery, na Namíbia, em 2015, e também já foi exposta no Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul, além das já mencionadas exposições em Jataí e Belém. A exposição, no entanto, é apenas uma parte do processo de criação da obra, já que depois de encerrada, os bichos têm suas “peles” utilizadas na confecção de roupas. 

 

 

Quem visitar a exposição irá conferir também oito fotos feitas durante o Mover Fashion, semana de moda do Mato Grosso do Sul que aconteceu em 2017, em Campo Grande, e que teve como encerramento um desfile com criações do estilista Luiz Gugliatto, autor de uma coleção de roupas feitas com o material da instalação exibida anteriormente em Belém.

 

 

Já a exposição de Élcio Miazaki é composta de uma série de fotografias cujo ponto de partida são gavinhas de um maracujazeiro que havia em seu apartamento em São Paulo e que foi obrigado a se desfazer devido a uma reforma no prédio. Com o material, o artista criou objetos de adorno e peças de vestuário que quando em contato com o corpo transmitem uma sensação dúbia, de encantamento, de sedução, mas também de aflição, já que algumas das peças parecem estar prestes a ferir, a violentar seu corpo. Além das fotografias, uma instalação complementará a exposição do artista.

 

 

Já para Fabio Cerqueira, será a estreia como curador de exposições em um importante museu. Gestor cultural na Unicamp, o valinhense assinou sua primeira curadoria em uma exposição do campineiro Bernardo Caro, em 2012, no Campus da Unicamp, em Limeira. De lá pra cá, já trabalhou com obras de outros renomados artistas, como Thomaz Perina, Egas Francisco, Enéas Dedecca, entre outros.

 

 

Serviço

Exposição: “Bicho de corpo mole, mas de pele boa”

Artista: Genivaldo Amorim.

Exposição: “Passiflora Sapiens: vestes da fragilidade”

Artista: Élcio Miazaki.

Curadoria: Fabio Cerqueira.

Local: Museu de Arte Contemporânea de Campinas – MACC (Av. Benjamin Constant, 1633, Centro, Campinas/SP).

Abertura: 24 de maio, quinta-feira, às 19h.

Visitação: 25 de maio a 15 de julho, de terça a sábado, das 10h às 18h; quinta, das 10h às 21h; e de domingo, das 9h às 12h.

Entrada gratuita.