Juventude Conectada recebe R$ 700 mil para modernizar equipamentos

O Juventude Conectada, programa da Prefeitura de Campinas para a inclusão digital de jovens, foi selecionado pelo Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID), órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, para receber R$ 700 mil. O dinheiro será utilizado para modernizar o parque tecnológico e melhorar o atendimento à população. 

A Coordenadoria da Juventude de Campinas, ligada à Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, vai utilizar a verba para comprar novos computadores para o Programa, que beneficia 120 jovens de baixa renda com bolsa pedagógica mensal. Eles atuam como agentes facilitadores da inclusão digital para toda população de Campinas. 

Segundo o coordenador da Juventude de Campinas, Felipe Gonçalves, “o projeto foi selecionado para o seu fortalecimento. Entendemos que a troca dos equipamentos beneficiará os jovens do Programa bem como toda a população que é atendida nos telecentros, principalmente, os idosos e pessoas com deficiência”, explicou.

O número de acessos nos telecentros atingiu a marca de 70 mil no ano de 2017. “Com essa troca de computadores vai ter uma otimização dos serviços devendo aumentar esse número de acessos”, complementou Felipe. 

Sobre o Juventude Conectada

Criado pela Lei Municipal nº 14.853 de julho de 2014, o Juventude Conectada – Cultura Digital possui uma rede de 27 telecentros, que oferecem acesso gratuito a tecnologias de informação e comunicação com objetivo de atender às comunidades das regiões de maior vulnerabilidade social. Os telecentros estão espalhados por Campinas e proporcionam atividades pedagógicas orientadas à capacitação em informática básica, vídeo, fotografia e outras ferramentas de cultura digital. 

Jovens de 15 a 29 anos recebem bolsa da Prefeitura de Campinas para o Programa Juventude Conectada. A bolsa é de R$ 517,40 (152,60 unidades fiscais de Campinas – UFICs (3,3906) por 20 horas semanais (quatro horas diárias), divididas entre formação e atividades nos telecentros. Os bolsistas também recebem vale-transporte. O prazo da bolsa é de 12 meses, prorrogável pelo mesmo período. 

Os bolsistas participam de oficinas em cultura digital, preparação para o atendimento e gestão dos telecentros, incentivo ao estudo e formação para o mercado de trabalho.