II Noite de Astronomia na Mata de Santa Genebra reuniu 45 pessoas

A II Noite de Astronomia na Mata de Santa Genebra reuniu 45 pessoas na noite desta quarta-feira, dia 8. Com a presença do astrônomo Júlio Lobo, do Observatório Municipal, o grupo, além de caminhar pelas trilhas da Mata, também pode ouvir histórias sobre a relação entre a astronomia e a floresta. 

 

O tempo não contribuiu muito. O céu parcialmente nublado dificultou a observação dos astros, mas não diminuiu a determinação do grupo que enfrentou a noite fria com animação. 

 

A estudante Carolina di Beo saiu de Itatiba para participar da atividade. Segundo ela, a irmã, que já foi voluntária na Mata, e um professor de biologia a influenciaram a participar do evento. “Eu acho que a vida na cidade, hoje em dia, é muito difícil. A gente ter essa experiência de entrar numa mata é muito bom. Nosso dia a dia é diferente, então a experiência de pegar uma quarta-feira à noite e falar assim ‘vou fazer uma trilha na mata’ é uma coisa inusitada. Então acho que por você fazer já surpreende”, disse.

 

Gustavo Valdivino da Silva estuda Economia na Unicamp aprovou o evento e quer participar de outros. “Pretendo vir na caminhada durante o dia, porque acho que deve ser diferente. Parar, poder ficar vendo as coisas, sentindo os aromas”. 

 

O biólogo Cristiano Kripsky, da Fundação José Pedro de Oliveira, avaliou positivamente a atividade. “Apesar do céu ter fechado bem na hora da observação, o Júlio contou boas histórias sobre o céu, mostrando como nossa vivência na floresta e a observação do céu estão relacionadas”, comentou.

 

Os participantes fizeram uma caminhada pela trilha central da Mata, passando pelo Marco Zero, onde aconteceu a aula de astronomia com Júlio Lobo. 

 

O trajeto percorrido tem cerca de 5Km, sendo 1,3Km pela trilha interna e 3,7Km pelo aceiro que contorna a Mata.

 

Na primeira edição, realizada em 2017, foram 30 participantes. Este ano, 40 pessoas participaram da atividade.