Estudantes de medicina da Inglaterra, Colômbia e Irlanda conhecem o Samu

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Campinas recebeu na tarde desta quinta-feira, dia 5 de julho, a visita de estudantes de medicina integrantes do curso de internacionalização oferecido pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp. De diferentes nacionalidades, os alunos que participam da segunda edição do Winter Course (curso de inverno) puderam vivenciar a rotina dos profissionais do Samu que fazem, em média, 150 atendimentos diários na cidade.

 

Para a coordenadora geral do Samu, Elisângela Franco, essa experiência é importante tanto para os alunos como para os servidores. “Já temos uma parceria de longa data com a Unicamp. O Samu faz parte do projeto de Prevenção do Trauma Relacionado ao Álcool na Juventude (P.A.R.T. Y). Para os alunos estar em contato com o atendimento pré-hospitalar é muito importante. E quanto mais estreitarmos os laços entre as universidades e as unidades de saúde, maior o benefício para todos”, afirmou a coordenadora.

 

Nesta visita, os alunos que optaram pelo curso de inverno com duração de cinco dias em Cirurgia do Trauma e Emergência puderam presenciar como são feitos os atendimentos pelo Samu Campinas 192. Eles acompanharam desde os primeiros procedimentos, orientados por telefone, até a saída da ambulância para a prestação de socorro.

 

O professor e coordenador da disciplina de Cirurgia do Trauma da Unicamp, Gustavo Pereira Fraga, acompanhou os alunos e avaliou essa vivência promovida pela faculdade como extremamente importante. “O curso de internacionalização serve para aumentar as possibilidades de cooperação tanto na área de ensino como na área de pesquisa da Unicamp com faculdades de outros países”, disse ele.

 

Para os alunos, a experiência foi positiva já que o Sistema Único de Saúde (SUS) acompanha o paciente desde o atendimento pré-hospitalar até a reabilitação. Para o estudante Mohamed Elbuzidi, da Universidade de King’s College London, a visita serviu para uma comparação. “Conhecer o SUS me dá um parâmetro com o sistema da Inglaterra e me faz entender como são os sistemas públicos ao redor do mundo”, afirmou.

 

O que mais chamou a atenção dos estudantes foi a descentralização das respostas. “Aqui são vários os números de atendimento entre Polícia, Samu e Corpo de Bombeiros. No nosso país é apenas um número, em que o atendente decide a qual serviço encaminhar a ocorrência. Isso é bem legal”, completou Juan Esteban, da Universidade Nacional da Colômbia.

 

Após a visita ao Samu, os alunos também conheceram o atendimento do Corpo de Bombeiros, acionado pelo telefone 193.