Espetáculo minimalista para 80 pessoas é apresentado no Castro Mendes

O limpador de chaminés no século 19, as crianças descartadas na Grécia, os judeus no holocausto, a população negra, a população LGBT, mulheres periféricas… O que há de comum entre todos? O elo dessas questões está no espetáculo Antígona Revis(i)tada, da SubverCia, que será apresentado nesta terça, 21 de agosto, às 20h, no Teatro Castro Mendes, em Campinas, em sessão única. A peça é um monólogo de Eleonora Ducerisier, no seu primeiro desafio solo, que também assina a direção.

 

 

Ao apresentar a violência da extinção das minorias e dos que se levantam contra a “normatividade” instalada, a montagem ressalta uma reflexão sobre os direitos humanos, o direito à vida e a necessidade de sobrevivermos à opressão.

 

 

A obra se apresenta como um resgate à tradição do teatro como crítica social e política, recebendo influências de Augusto Boal, teatrólogo brasileiro que dedicou boa parte de sua carreira ao teatro do oprimido.

 

 

Numa encenação minimalista, para apenas 80 pessoas, utiliza a concepção do teatro de arena e a proximidade com o público, como se a experiência cênica acontecesse em nossa sala, num bate-papo entre amigos, num espaço entre o ator e o público.

 

 

Serviço

Quando: terça, 21 de agosto, às 20h

Onde: Teatro Castro Mendes (Praça Correa de Lemos, s/n. Vila Industrial. Campinas).

Ingressos: R$ 20,00 para retirada antecipada, e no dia do evento R$ 40,00  (inteira) e R$ 20,00 (meia para estudantes e idosos).

O espetáculo é destinado para 80 lugares.