Emdec apresenta ciclovia na Princesa D’Oeste para moradores e comerciantes

 

Durante reunião na manhã desta terça-feira, dia 26 de junho, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) apresentou o projeto de ciclovia na Avenida Princesa D’Oeste para moradores e comerciantes da região. O evento, realizado no Plenário da Câmara Municipal, contou com a participação dos vereadores e também do secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro; do secretário de Serviços Públicos, Ernesto Dimas Paulella, e de técnicos da Administração municipal.

 

 

Durante a reunião de trabalho, o secretário Barreiro detalhou o Sistema Cicloviário desenhado para o município e o traçado da ciclovia prevista na Avenida Princesa D’Oeste. Com aproximadamente 1,2 km de extensão, o trajeto começa na Praça Agenor Oliveira e segue, pelo canteiro central, até a confluência da Princesa D’Oeste com ruas Proença e Uruguaiana.

 

 

O pavimento será de concreto e ainda há iluminação de LED por painéis solares e bicicletário nas duas extremidades. O projeto está orçado em R$ 350 mil.

 

 

“Estamos procurando viabilizar uma contrapartida com empreendimento na região. Desta forma, não haverá aporte de recursos públicos na obra. Nossa expectativa é de começar a instalação no início de 2019”, revelou o secretário Barreiro.

 

 

“Abraça a Princesa”

 

 

No encontro, o secretário Paulella detalhou as ações que serão realizadas pela Administração municipal na Avenida Princesa D’Oeste. As praças Emílio Porto e Antônio Carlos de Carvalho Bastos serão reurbanizadas. Os espaços receberão paisagismo, nova iluminação, quadra poliesportiva e academia ao ar livre. Os investimentos são da ordem de R$ 420 mil. “O projeto já foi autorizado e aprovado pelo prefeito Jonas Donizette”, afirmou Paulella.

 

 

A Avenida Princesa D’Oeste também receberá um projeto para ampliar a eficiência da iluminação pública, orçado em R$ 489 mil. O canteiro central, ao longo da ciclovia, será contemplado com projeto paisagístico.

 

 

O secretário de Serviços Públicos salientou, ainda, os esforços da Administração municipal para resolver o problema das enchentes na região. Os comerciantes e moradores da região deram sugestões e criaram o lema “Abraça a Princesa”.

 

 

Sistema cicloviário

 

 

Atualmente, Campinas conta com 24,6 km de ciclovias. A Administração municipal já entregou as ciclovias das avenidas Isaura Roque Quércia (6,7 km); José de Souza Campos, a Norte-Sul, com 1,3 km; Baden Powell, no Jardim Nova Europa, com 1,6 km; Theodureto de Almeida Camargo, com 1,6 km de extensão; e três trechos, implantados no Distrito de Nova Aparecida, que totalizam 2 km.

 

 

As três ciclovias no Distrito de Nova Aparecida são interligadas ao Terminal Padre Anchieta, e formam o primeiro mini sistema cicloviário do município. No terminal há bicicletário com 112 vagas.

 

 

Também estão em fase de construção ou elaboração de projeto executivo mais 9,2 km de novas ciclovias, com investimentos da ordem de R$ 2.766.600,00. São trechos na Avenida Washington Luiz (1,4 km); na Avenida Baden Powell (730 metros); Barão Geraldo (1,9 km, ligando o Terminal Barão Geraldo até a moradia estudantil); e Distrito do Campo Grande (5,2 km).

 

 

O Sistema Cicloviário do município contemplará mais de 180 km de ciclovias, nas diversas regiões do município. O complexo será articulado com os principais eixos do transporte.

 

 

O principal objetivo é tornar a bicicleta um meio de transporte para pequenos deslocamentos, aliada ao transporte público coletivo. A bicicleta é indicada para deslocamentos curtos, com raio em torno de 5 km. Com velocidade média de 15 km/h, o tempo médio do percurso fica em 20 minutos.

 

 

Diferentemente das ciclofaixas, as ciclovias são espaços totalmente segregados do tráfego comum, sendo mais seguras para os deslocamentos.