Começam trabalhos para promoção de uma RMC mais sustentável

Com a Conferência “Biodiversidade, Serviços Ecossistêmicos e Gestão Metropolitana”, realizada na manhã desta quarta-feira, 8 de novembro, no Salão Vermelho da Prefeitura de Campinas, tiveram início as atividades que darão suporte à integração dos 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas no planejamento integrado das questões relacionadas à biodiversidade e serviços ecossistêmicos.

 

Na ocasião, foi assinado o Termo de Cooperação Técnica entre o Iclei (Governos Locais pela Sustentabilidade), o Município de Campinas (por intermédio da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável- SVDS), e a Agência Metropolitana de Campinas (Agemcamp) para execução do projeto que prevê, entre outros, a realização de um diagnóstico situacional da região para definir as áreas prioritárias de atuação e o escopo das atividades com vistas a melhorar a gestão da biodiversidade.

 

Cerimônia

 

Participaram da cerimônia de abertura das atividades o secretário municipal do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Rogério Menezes; o secretário-executivo do Iclei América do Sul, Rodrigo Perpétuo; a diretora- executiva da Agencamp, Ester Viana; a analista de infraestrutura da Secretaria Nacional de Desenvolvimento Urbano do Ministério das Cidades, Denise Schuler; e o analista ambiental da Secretaria de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Luís Eduardo Freitas Tinoco.

 

Rogério Menezes enfatizou a importância do projeto no que concerne à integração qualificada dos municípios no planejamento ambiental: “Não há como avançar, sozinho, na área. Já vínhamos trabalhando com o projeto Reconecta RMC (para conectar áreas verdes por meio de corredores ecológicos) e contamos, agora, com a experiência e o suporte técnico de alto nível do Iclei. A sensação é de esperança e satisfação”, disse Menezes.

 

Ester Viana também salientou a importância do projeto para integração dos municípios da RMC: “Muitos municípios tratam as questões de forma individualizada e a integração é tudo o que faltava. Tivemos uma crise hídrica e, agora, o momento é de esperança para resolver essas questões”, afirmou.

 

Rodrigo Perpétuo, por sua vez, parabenizou Campinas pelo interesse em participar da iniciativa. “Campinas tem uma responsabilidade adicional, uma vez que o secretário do Verde, Rogério Menezes, é presidente da Anama (Associação Nacional dos Órgãos Gestores Municipais de Meio Ambiente) e o prefeito Jonas Donizette é o presidente da Frente Nacional do Prefeitos (FNP). Espero que a experiência possa contribuir com as políticas federais que o país precisa”, disse Perpétuo.

 

INTERACT-Bio

 

O INTERACT-Bio é um projeto elaborado para melhorar a utilização e a gestão dos recursos naturais em cidades de rápido crescimento e nas regiões que as cercam. A iniciativa apoia, por meio de assistência técnica, as regiões metropolitanas a compreenderem o potencial da natureza, principalmente em relação ao fornecimento de serviços essenciais e, ao mesmo tempo, a melhorarem a conservação da biodiversidade e dos ecossistemas, gerando novas ou melhores oportunidades econômicas.

 

O projeto está sendo implementado no Brasil, Índia e Tanzânia. No Brasil, estão contempladas as regiões metropolitanas de Campinas, Belo Horizonte e Londrina. O Iclei, principal associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável, é o responsável pela implementação do projeto, que tem duração de quatro anos (2017-2020).

 

O Projeto “INTERACT-Bio é financiado pelo Ministério Federal Alemão do Meio Ambiente, de Proteção da Natureza, da Construção e da Segurança Nuclear (BMUB) por meio da Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI). É executado pelo ICLEI América do Sul, com apoio ténico da Helmholtz Zentrum fur Umweltforschung (UFZ).