Ciência e Arte no Inverno leva alunos municipais para a rotina da Unicamp

 

Com o propósito de estimular o interesse dos estudantes da rede municipal de ensino na pesquisa científica foi aberta na manhã desta quinta-feira, 12 de julho, a terceira edição do Programa Ciência e Arte no Inverno (Cafin). Este ano, 97 alunos dos 8º e 9º anos do ensino fundamental permanecerão por cinco dias na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde viverão a experiência da rotina de uma universidade.

 

 

O programa é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a Unicamp. Participaram da cerimônia de abertura, realizada no auditório da Faculdade de Ciências Médicas, a secretária municipal de Educação, Solange Pelicer; a pró-reitora de graduação, Eliana Martorano do Amaral; o pró-reitor de pós-graduação, André Tosi Furtado; o pró-reitor de pesquisa, Benilton Sá Carvalho, e o dirigente estadual de Ensino Oeste, Antonio Admir Schiavo.

 

 

Durante estes dias na Unicamp, os estudantes participarão de oficinas que abrangerão áreas como química, física, arqueologia, biologia, dança, zoologia, esporte e engenharia. “Neste período no qual vocês estiverem aqui, comecem a refletir em como as pesquisas impactam diretamente nosso cotidiano. Por exemplo, para se chegar ao whatsapp e ao facebook, foram necessárias pesquisas sobre comunicação em alta velocidade”, falou aos alunos o pró-reitor de pesquisa.

 

 

A secretária de Educação comentou o impacto deste tipo de programa para os alunos. “O que eles aprendem aqui, eles levam para a escola. É um ganho para todos. Sem contar que eles saem com a perspectiva de que estão a um passo de conquistar uma vaga na universidade. Não é uma realidade distante”, disse Pelicer.

 

 

Nesta mesma linha de pensamento, a pró-reitora de graduação, Eliana do Amaral, lembrou que 50% dos alunos que hoje estudam na Unicamp vieram de escolas públicas.

 

 

Primeira Nota

 

 

Uma camerata de cordas, formada por alunos do Projeto Primeira Nota, arrancou aplausos dos convidados que participaram da cerimônia de abertura do Cafin. Por quase meia hora, os alunos levaram o público a fazer uma visita por vários ritmos, do clássico ao popular.

 

 

No repertório estavam músicas como El Toro, com uma sonoridade flamenca, e uma sinfonia em miniatura, formada por pequenos trechos musicais. A peça, denominada The Best of Beethoven, arrancou elogios da plateia.

 

 

O Projeto Primeira Nota conta com 320 alunos das escolas públicas e da rede particular de ensino. São oferecidas aulas gratuitas de musicalização e instrumentos para alunos com idade entre 6 a 14 anos. O Primeira Nota funciona no Centro Escolar Municipal de Música Manoel José Gomes (Cemmaneco), na Vila Marieta.