Casarão recebe Festival de Circo Transversal de 24 a 29 de abril

A riqueza do universo circense e suas vertentes estão na segunda edição do Festival de Circo Transversal, que acontece em Campinas de 24 a 29 de abril. Com apoio da Prefeitura de Campinas, o evento é cocriado e coproduzido pelos grupos campineiros Cia. ParaladosanjoS e Cia. Suno.

 

 

A maratona teatral, com entrada gratuita, reúne sete espetáculos, todos trabalhos solos, com destaque para Matias Donoso (Chile), Tato Molavin (Argentina), Adelvane Néia (Jacarezinho), Daniel Salvi e Cia Suno (Campinas) além da presença de um dos Doutores da Alegria, o Palhaço Klaus, da La Cascata Cia Cômica (São Paulo) em dois espetáculos e uma oficina.

 

 

A programação traz, ainda, duas produções inéditas criadas especialmente para o Festival, “Voôs Possíveis”, resultado cênico do Laboratório de Danças Aéreas, coordenado por Monica Alla do Grupo Ares (São Paulo), e “Solos Suspensos”, dirigido por Marcos Becker e Marilia Ennes (Cia ParaladosanjoS), gerado pelo encontro de mulheres e transgêneros do circo contemporâneo.

 

 

As atividades acontecerão no Centro Cultural Casarão (Rua Maria Reginato Riberio s/nº. Terras do Barão. Barão Geraldo), na Praça do Coco (Barão Geraldo), na Faculdade de Educação (Unicamp) e no Teatro de Arena da Unicamp.

 

 

Programação

 

 

 

 

24/abril – 20h: Mais uma chance, com Cia. Duna (Chile)

 

Teatro de Arena Unicamp, no Encontro Campineiro de Malabarismo

 

A cada espetáculo há “mais uma chance” de se conectar com a plateia, como num grande abraço. Através de suas habilidades a energia surge e a magia acontece, montado na sua mini bici, atravessa barreiras junto ao público e mostra sua verdade nua e crua. O perigo está presente em cena, onde o impossível acontece e as barreiras de fogo não podem mais nos deter. Duração: 40 min

Artista: Matias Donoso. Produção: Cia Duna. Classificação livre

 

 

 

25/abril – 18h30: O Poste, Daniel Salvi (Campinas/SP)

Praça do Coco, no Tem Graça na Praça

 

 

Um trabalhador deve trocar uma lâmpada queimada no alto de um poste. Uma tarefa simples para um profissional qualificado, mas que pode se tornar uma sequência de peripécias cômicas e catastróficas se realizadas por um “faz-tudo” desatualizado. Em meio às tentativas frustradas e irritações, ele descobre que só precisava relaxar para conseguir alcançar seu objetivo. Duração: 50 minutos. Indicação: livre. Criação e atuação: Daniel Salvi. Direção: Ricardo Puccetti. Orientação circense: Alex Brede. Trilha sonora original: Rodrigo Carinhana. Cenário: Joana Martins de Conti. Adereços e Figurino: Daniel Salvi. Operação técnica: Eduardo Brasil. Design gráfico: Arthur Amaral. Classificação livre.

 

 

 

 

25/abril – 20h: Molovin, Tato Villanueva (Argentina)

Centro Cultural Casarão.

 

 

Se pode esquecer a verdade repetindo uma mentira, uma nuvem de fumo grosso e intangível. Esta Opéra Bufa conta a vida e as visões de Boris, um vendedor de fumaça que, cansado de mentir, procura recuperar sua dignidade. Ainda que tenha que morrer por isso. Duração: 50 minutos. Com Tato Villanueva. Classificação Livre.

 

 

 

 

26/abril – 15h30: Laboratório de Danças aéreas, Monica Alla (Grupo Ares/ SP)

FEF Unicamp.

 

 

 

26/abril – Voos Possíveis, coordenação de Monica Alla (São Paulo/SP)

FEF Unicamp.

Apresentação do Resultado Cênico criado durante o Laboratório de Danças Aéreas com a participação de todos os alunos do workshop.

 

 

 

26/abril – 20h: Desfazer A-ma-la, Humatriz Teatro (Jacarezinho/SP)

Centro Cultural Casarão.

 

 

Desfazer A-ma-la nos faz lembrar o retorno de uma viagem ou partir e chegar a outro lugar…

Essa foi a motivação encontrada pela atriz Adelvane Néia da Cia Humatriz Teatro para compartilhar com o público, alguns aspectos do processo de montagem de seu solo A-ma-la. Desfazer, desmontar e revelar, trata-se de abrir e contar, com um olhar distanciado, o processo de busca e investigação na montagem de um solo, sua experiência como palhaça através do exercício constante na construção de uma trajetória de vida-arte-vida suas dúvidas e conflitos: uma transformação após 20 anos da estreia. Com Aldevane Néia. Classificação 12 anos.

 

 

 

 

27/abril – 20h: Solos Suspensos, coordenação Marilia Ennes e Marcos Becker Cia ParaladosanjoS (Campinas/SP)

Centro Cultural Casarão.

 

Com objetivo de romper as fronteiras entre as diversas linguagens que envolvem a cena, o corpo e o espaço, Solos Suspensos surge como uma provocação para aeralistas especialmente convidados a experienciarem uma co-criação inédita que será apresentada durante o II Festival de Circo Transversal, às 20h do dia 27 de abril de 2018.

 

Uma noite que reúne artistas mulheres e transgeneros com larga experiência em criação cênica aprofundada e investigações aero-acrobáticas. Ao revisitar seus trabalhos na tentativa de explorar nuances e desvios, a partir de uma partitura física pré-estruturada do repertório pessoal, os artistas serão incentivados a buscar outros meios de abordagem do material expressivo além de visitar campos ainda desconhecidos da performance.

 

Como provocadores, Marília Ennes e Marcos Becker, ambos fundadores da Cia ParaladosanjoS que a 17 anos desenvolve pesquisa nos campos da performance, circo, teatro físico e visual. www.paraladosanjos.com / https://www.facebook.com/paraladosanjos/

Artistas confirmadas até o momento: Lya Bueno, Kelly Cristina,Luciene Bafa Brenda Avelino Joana Piza, Erica Stopel, Jaqueline Ramirez

 

 

 

28/abril – 16h: O Buraco, Cia. Suno (Campinas/SP)

Centro Cultural Casarão.

 

Uma palhaça acróbata vinda de uma tradicional família circense se vê no desafio de atravessar um buraco infinito andando em uma corda bamba. Toda sua família tentou e se deu mal: seu avo, seu bisavô, seu tataravô… sua mãe também tentou, mas conheceu o anão do circo e fugiu com ele. Num cenário composto por um barril, uma mini-banda e uma corda bamba, sob o prisma da comicidade, Fiorella brinca com os conflitos de um palhaço que vive sua situação limite: ter que atravessar um buraco com fundo infinito. Números de mágica e contorcionismo completam a diversão do público. Com Helena Figueira. Duração 50 minutos. Classificação: livre

 

 

 

 

28/abril – 20h: Animo Festas, La Cascata Cia. Cômica (São José dos Campos/SP)

Centro Cultural Casarão.

 

 

Animo Festas é o espetáculo-show do palhaço Klaus, que narra a saga solitária de um animador de festas infantis e seu submundo de tristeza e miséria.

Nesta narrativa solitária, as festas infantis são o pano de fundo para questões sobre a felicidade, o valor do trabalho artístico e as escolhas que fazemos para viver ou sobreviver.

Inspirado no Freak Show, Animo Festas leva a cena o universo sombrio do palhaço. Bem vindo ao submundo do palhaço Klaus. Com Marcio Douglas. Classificação : 16 anos

 

 

 

 

29/abril – 11h: Oficina de Palhaçaria Clássica, Marcio Douglas (La cascata Cia. Cômica)

Centro Cultural Casarão.

 

 

A oficina de Palhaçaria Clássica é destinada para pesquisadores da arte do palhaço ou interessados em geral. A oficina tem como fundamento o aprendizado das técnicas da Palhaçaria Clássica, isto é, os elementos em que se baseiam a palhaçaria. Serão abordados os princípios técnicos básicos dessa arte cômica, assim como, as técnicas de Cascatas (Quedas) e Claques (Tapas falsos de Palhaço).

 

 

 

 

29/abril – 18h: Mãos à obra, La Cascata Cia. Cômica (São José dos Campos/SP)

Centro Cultural Casarão.

 

 

Mãos à obra é uma comédia fruto de trabalho realizado pela La Cascata Cia. Cômica sobre o ofício do arte do palhaço e as vertentes do universo circense. Aborda de maneira cômica a relação patética do homem com seu meio ambiente que provoca destruição do mesmo em busca de uma melhor qualidade de vida. Classificação: Livre.