Boldrini completa 40 anos e inaugura nova sala de quimioterapia

O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, participou na manhã desta quinta-feira, 25 de janeiro, da cerimônia de aniversário dos 40 anos do Centro Infantil Boldrini. O centro, que cuida de crianças com câncer, também inaugurou a nova sala de quimioterapia, que vai contar com sete macas e cinco poltronas para o atendimento de quimioterapia ambulatorial, distribuídos em 300 metros quadrados e capacidade para atender 30 crianças por dia. A nova sala traz um ambiente mais lúdico aos pacientes e ainda facilita o atendimento e a realização dos procedimentos.

 

 

 

 

“O Centro Infantil Boldrini não tem fronteiras geográficas. Atende pessoas de todos os lugares e é uma referência na América Latina. O Boldrini, que luta por uma causa nobre, tem um papel fundamental na nossa sociedade”, disse o prefeito Jonas Donizette.

 

 

 

 

Presidido pela médica Silvia Brandalise, o Centro Boldrini é referência em toda a América Latina no tratamento de doenças onco-hematológicas, pesquisas científicas e formação acadêmica. Ao longo de sua história, o Boldrini já atendeu 30 mil pacientes com suspeita ou o diagnóstico de câncer (média de 750 novos casos por ano). Destes, 10 mil continuam em acompanhamento. Segundo o hospital, cerca de 70 a 80% dos pacientes oncológicos da instituição saem de lá curados.

 

 

 

 

“O Boldrini surgiu do desejo de muitas pessoas, que nem se conheciam, mas de alguma forma se entrelaçaram, e criaram esta instituição, de uma forma que foge à compreensão. Fico imensamente feliz em ver esse trabalho, que não seria possível sem a conjunção de aptidões de tantos profissionais. Agradeço pela oportunidade de vivenciar esta história, gratidão a todos”, disse a médica e presidente do Boldrini, Silvia Brandalise. 

 

 

 

 

O Boldrini conta com uma infraestrutura médica de alta tecnologia, com laboratórios de hematologia, genética e biologia molecular, dos serviços de imagem, de radioterapia, quimioterapia e reabilitação. Além disso, os 77 leitos da internação constituem modelo arquitetônico modulado e funcional, que ficam em quartos com banheiros privativos para pacientes e acompanhante. 

 

 

 

 

O centro de oncologia infantil também trabalha na capacitação dos profissionais. Nos últimos 10 anos, o hospital contribuiu com a formação de 332 trabalhadores da area médica, em atividades de estágio, residência, mestrado, doutorado, pós-doutorado e aprimoramento profissional nas áreas de hematologia e oncologia pediátrica.

 

 

 

 

Dos pacientes que chegam no Boldrini, 70% são atendidos via SUS e 30% por meio de convênios. As receitas para o hospital são geradas por repasses dos Sistema Único de Saúde (20%) e repasse dos convênios (30%). Mas a maior parte dos recursos financeiros (50%) que entram para o hospital são oriundos de doações de pessoas físicas ou jurídicas.

 

 

 

 

Participaram do evento a primeira-dama Sandra Ciocci, o vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira, vereadores, deputados, representantes de instituições filantrópicas, pacientes e familiares.

 

 

 

 

Isenção de pagamento do lixo hospitalar

 

 

Desde o dia 24 de novembro do ano passado, a Prefeitura de Campinas concedeu ao Boldrini a isenção do isenção do pagamento da coleta de coleta, tratamento e destinação de lixo hospitalar. A instituição também ficou isenta de cobranças pendentes relativas aos mesmos serviços. Com a medida, o hospital, que é de referência no atendimento de crianças e adolescentes com câncer ou doenças no sangue, passa a economizar cerca de R$ 5 mil reais por mês.

 

 

O Centro Infantil Boldrini gera em torno de 1,5 tonelada de resíduos hospitalares por mês.​