Aulas na Escola de Cozinha da Ceasa entram na fase prática

As aulas do projeto Cozinha Ceasa/USF – Alimentação Sustentável ISA, na Escola de Cozinha da Ceasa Campinas, entraram na fase prática, em que os próprios alunos elaboram pratos, de acordo com o cronograma pedagógico do curso profissionalizante de cozinheiro. Na última aula, a turma preparou um prato com cortes de asa, coxa e peito de frango, além de um peixe. Na próxima aula (dia 18/9), os alunos vão aprender a preparar carne vermelha.

 

As aulas de carnes estão sendo ministradas pelo chef e professor Jonathan Lauriola, da Universidade São Francisco (USF). O curso teve início no último dia 21 de agosto. Nesse período, foram quatro aulas e, além do preparo de carnes e peixes, os alunos também aprenderam técnicas de cutelaria (manuseio e afiação correta de facas), higiene e manipulação de alimentos e cortes de legumes.

 

O projeto é uma parceria entre a Ceasa e a USF e visa a formação profissional de cozinheiros e a alimentação saudável, com uso integral dos alimentos, voltado às famílias atendidas pelo Instituto de Solidariedade para Programas de Alimentação (ISA), ONG localizada dentro do entreposto campineiro que arrecada o excedente de hortifrútis nos mercados da Ceasa e distribui os alimentos a famílias carentes e entidades de Campinas.

 

O curso tem duração de seis meses e as aulas ocorrem todas as terças-feiras, das 13h às 17h, sempre na Escola de Cozinha, e são ministradas por chefs docentes do curso de Gastronomia e de Nutrição da USF. Entre os temas abordados ao longo do curso estão cozinha básica, cozinha brasileira, cozinha italiana e oriental, panificação e confeitaria.

 

“Os alunos estão se mostrando bastante interessados e participativos. Tenho certeza que vão aproveitar ao máximo o curso”, disse a coordenadora do Curso de Gastronomia da USF, Andreia Pimentel.

 

Ao final, os participantes receberão um certificado reconhecido pela USF e pelo Ministério da Educação, que qualificará o aluno a atuar no mercado de trabalho como cozinheiro. As aulas serão gravadas e, numa segunda etapa, os vídeos serão reproduzidos nos bairros atendidos pelo ISA, em um ônibus adaptado exclusivamente para atender o projeto, ampliando o alcance da iniciativa e multiplicando o número de pessoas que receberão as orientações.