​Boletim da Saúde do Trabalhador marca 30 anos do Cerest Campinas

 

Para comemorar os 30 anos da política de saúde do trabalhador em Campinas, o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), do Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde, lançou o Boletim Epidemiológico da Saúde do Trabalhador, uma edição considerada histórica. O evento foi realizado no Salão Vermelho do Paço Municipal, na manhã desta quarta-feira, 23 de maio.

 

 

Participaram da apresentação do trabalho profissionais da saúde, representantes de sindicatos, estudantes, e interessados no assunto. O objetivo da publicação é melhorar a qualidade da informação em saúde do trabalhador e, consequentemente, a efetividade das ações para redução de adoecimentos e mortes causados pela ocupação profissional.

 

 

O Boletim traz um panorama da saúde do trabalhador em Campinas e nas nove cidades de abrangência do Cerest. O Centro recebe das unidades de saúde as notificações sobre doenças ou acidentes relacionados ao trabalho. Em seguida, encaminha as providências para melhoria das condições no ambiente e no acompanhamento dos processos do paciente/trabalhador. Também recebe denúncias de sindicatos e apoia ações do Ministério Público do Trabalho no que diz respeito à saúde.

 

 

Este primeiro boletim tem 70 páginas com informações históricas, análise de indicadores epidemiológicos, reflexões e proposições. A meta é avançar na ampliação da capacidade das redes de saúde pública e privada no que diz respeito à identificação e notificação dos agravos de saúde do trabalhador.

 

 

De acordo com a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Andrea von Zuben, “o Boletim Epidemiológico em Saúde do Trabalhador é um marco na evidenciação deste importante problema de saúde pública. O conhecimento adequado dos casos por meio de notificações permite que políticas de prevenção e promoção da saúde do trabalhador sejam instituídas e priorizadas”.

 

 

A médica sanitarista do Cerest, Mirian Pedrollo Silvestre, apresentou o tópico “Saúde do Trabalhador em Campinas e Notificações dos Agravos”, com dados de Campinas e região ao longo dos anos. As fontes foram bancos nacionais, como o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) e registros da Previdência Social.

 

 

Em quatro anos, Campinas registra 26 mil acidentes de trabalho

 

 

De acordo com dados da Previdência, que contabiliza informações relacionadas a trabalhadores com carteira assinada, no período de 2012 a 2016 foram computados 3,3 milhões de registros de ocorrências no Brasil, sendo 59.595 na área de atuação do Cerest de Campinas, e 26.076 somente em Campinas. “Todo dia trabalhadores são expostos a riscos. Cada vez mais temos o reconhecimento de que a saúde do trabalhador é muito importante para a saúde pública”, disse Mirian.

 

 

O coordenador do Cerest, Alexandre Beltrami, esclareceu a importância da notificação e expôs como são os procedimentos posteriores. “Queremos sensibilizar ainda mais os profissionais de saúde para as questões de adoecimento e acidentes que possam ter sido causados pelo trabalho e que precisam ser notificados”, afirmou.

 

 

“Importante que haja sensibilidade nesse processo, de atuação conjunta, para avançar nas questões que dizem respeito às doenças de trabalho”, disse a diretora de Saúde, Mônica Macedo Nunes. A profissional participou da mesa redonda “Caminhos para a construção da linha do cuidado em saúde do trabalhador”, junto dos médicos Carlos Eduardo Abrahão, articulador da Atenção Básica; José Benedito Bortoto, da área de Urgência e Emergência; e Fábio Morano, coordenador do pronto-socorro adulto do Hospital Municipal Dr. Mário Gatti.

 

 

Fazem parte da área de abrangência do Cerest Campinas os seguintes municípios: Americana, Sumaré, Valinhos, Paulínia, Hortolância, Nova Odessa, Cosmópolis e Artur Nogueira, além de Campinas.

 

 

O Cerest está localizado na av. Prefeito Faria Lima, 680, Parque Itália.

Informações: fones (19) 3272-1292, 3272-8025 e e-mail: saude.cerest@campinas.sp.gov.br.